19 de Abril de 2017 - 17h09

Estreando de Verdade

Prati-Donaduzzi espera melhores resultados, após acidente prejudica desempenho da equipe em Goiânia
Estreando de Verdade Foto: Duda Bairros/Vicar

O campeonato começará para valer paraa Prati-Donaduzzi neste final de semana no Velopark, circuito gaúcho que recebe a segunda etapa de 2017. Em Goiânia, o amazonense Antonio Pizzonia e o paranaense Júlio Campos foram envolvidos em acidente logo na primeira volta que roubou qualquer chance de desfecho expressivo no domingo depois dos animadores treinos livres e classificatórios - Campos largou em 8º e Pizzonia em 11º na corrida 1.

O recomeço não poderia vir em pista mais apropriada. A equipe comandada pelo diretor-técnico Rodolpho Mattheis tem histórico de ótimos resultados no traçado de 2,2 km, com Campos em 2015 sendo o primeiro piloto a subir ao pódio nas duas provas desde que o atual sistema de rodadas duplas foi implantado. "Nossos carros têm um excelente retrospecto no Velopark. No ano passado fizemos um oitavo e um terceiro na primeira bateria e em 2015 largamos e terminamos em segundo. Além disso, nossa equipe irmã, a A. Mattheis, fez dobradinha no qualifying e na corrida 1 em 2016", explica Rodolpho.

As batidas em Goiânia não somente frustraram as expectativas da equipe como obrigaram engenheiros e mecânicos a realizar um minucioso trabalho de revisão na oficina em Petrópolis para devolver aos carros as suas melhores condições. A Prati-Donaduzzi deu um show de rapidez e eficiência para recolocar Pizzonia e Campos na pista em Goiânia, mas nem todos os danos puderam ser identificados nos boxes. "Descobrimos que a barra traseira da suspensão do Júlio estava bem danificada, além dos triângulos esquerdos. Na frente também havia um triângulo dianteiro e a barra de convergência bastante afetada, o que deixou o volante torto na corrida 2. O carro do Pizzonia também estava com um triângulo traseiro empenado que não foi trocado para a segunda corrida. E os freios foram comprometidos porque um triângulo traseiro rasgou a mangueira e prejudicou a refrigeração. O Julio também estava sem velocidade na segunda prova por causa dos danos na bronzina que causaram a perda da pressão de óleo, o que só foi verificado na revisão do motor. Como ele foi trocado, está tudo bem", assegura o chefe da equipe.

Na categoria mais importante do automobilismo brasileiro manter a regularidade e buscar o maior número de pontos possíveis a cada etapa é a meta de todos os pilotos na briga pelo título e Julio Campos quer buscar na pista gaúcha do Velopark, onde acontece neste final de semana a 2ª etapa da temporada, a recuperação depois de um início complicado, que o tirou das duas provas em Goiânia.

"Tínhamos um carro muito rápido em todos os treinos e o incidente fez com que eu saísse de Goiânia sem nenhum ponto. Por isso, a reação na tabela de classificação é muito importante nesse começo. Com o formato de pontuação, onde a última corrida vale o dobro de pontos, andar entre os primeiros em todas as corrida é tarefa primordial para chegar no final com chances de campeonato", finaliza Julio Campos

Venda de ticket

Compre já seu ingresso
para a próxima etapa!

Clique aqui e
garanta o seu.
x