Etapa

Pizzonia e Campos vão ao Top 10

Equipe Prati Donaduzzi pontuou somente na primeira corrida e foi vítima do asfalto abrasivo de Tarumã na segunda

A exemplo da Prati-Donaduzzi em 2014, a equipe Eurofarma RC dominou a rodada dupla da Stock Car deste domingo no autódromo gaúcho de Tarumã. Daniel Serra e Ricardo Maurício dividiram as vitórias da 10ª etapa, repetindo o feito de Antonio Pizzonia e Julio Campos de três anos atrás. Hoje, os companheiros da equipe comandada tecnicamente por Rodolpho Mattheis fizeram uma ótima primeira bateria, terminando respectivamente em 5º e 8º e sem completar a segunda, quando as condições desfavoráveis de pneus determinaram o abandono de ambos.

Serra nem precisou pontuar na segunda corrida para ampliar de quatro para 10 pontos a vantagem sobre Thiago Camilo (Ipiranga/A. Mattheis) na ponta da classificação. Camilo marcou um quarto e um 12º lugares, passando a 279 pontos diante dos 289 do líder. No entanto, faltando ainda as corridas em Goiânia dia 19 de novembro e a final com pontuação dobrada em Interlagos dia 10 de dezembro, nada está definido.

O ótimo público presente ao velho autódromo viu duas provas com estratégias e resultados bastante distintos. Quem apostou e se deu bem na primeira prova pagou o preço na segunda num traçado em que o consumo de pneus é cruel. Além disso, o maior tempo de parada para reabastecimento custou caro. Foi o que ocorreu com os pilotos da Prati-Donaduzzi. “Sabíamos que teríamos de priorizar uma corrida ou outra. Decidimos investir na primeira porque as chances de colocar os dois no Top 10 da prova eram grandes, já que eles saíam em 10º e 14º. Sabíamos também que seria improvável arrancar algum ponto na segunda por causa do desgaste dos pneus e da quantidade de combustível que precisaríamos colocar. Neste aspecto, um 5º e um 8º foram bastante positivos”, avaliou Mattheis.

O excelente ritmo de Pizzonia não passou despercebido aos olhos de Mattheis. “Esse resultado, ganhando uma posição no campeonato, mostra que ele está crescendo. Tanto ele como o Julinho têm totais condições de escalar a pontuação de pilotos, porque a diferença para o 10º não é tão grande e faltando uma rodada dupla e uma final com peso dois nos dá essa chance de subir na classificação”, lembrou. Mesmo reconhecendo que os carros ainda têm potencial de evolução, aprovou o saldo do fim de semana. “Fiquei satisfeito porque aqui houve uma separação clara, com duas corridas diferentes, e colocamos os dois entre os 10 da primeira, como era nossa meta.”

Os resultados ainda estavam sujeitos às verificações técnicas e desportivas por causa de um incidente envolvendo Felipe Fraga (Cimed), segundo colocado no complemento da programação, e Max Wilson (RC). Na primeira, Ricardo Zonta (Shell) chegou a receber a bandeirada na frente, mas caiu para 13º depois de receber punição de 20 segundos no tempo final por irregularidade durante o reabastecimento.